Abre tua boca

Alguns
sentimentos
precisam
ser olhados
na cara.

Algumas
dores
não sossegam
quando
ignoradas. 

Não há
como fugir
se coisas
tão íntimas
te fitam
sem cansar.

Te perseguem.
Te espreitam.
Aos poucos,
até te matam.
E reclamam:
olhos
nos
olhos.

Não sem hesitar,
paro,
encaro:
abre tua boca,
dor maldita,
e fala!

Que tens
a me dizer!?

Por Larric Malacarne.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: